MIX BRASIL 728X90 01
CAPA CRHYSTI MASTER FULL 01
PET DB CAPA FULL 01
LINAMEG COMPLETA
Good Pax capa 01
Central Gospel Livro Banner Principal
BACURI 728X90 01

STF não tem data para retomar julgamento sobre autonomia do Banco Central

Por Portal Comunica AM em 19/06/2021 às 13:33:56

O Supremo Tribunal Federal não tem data para retomar o julgamento sobre a lei que determinou a autonomia do Banco Central. O caso está sendo analisado no plenário virtual e foi suspenso após um pedido de vista do ministro Luís Roberto Barroso. Uma ação direta de inconstitucionalidade apresentada pelo PT e pelo PSOL questiona a validade do dispositivo sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro em fevereiro, que transforma o BC em autarquia especial. Antes da suspensão, o relator, ministro Ricardo Lewandowski, acolheu o parecer da Procuradoria Geral da República, que se manifestou a favor de derrubar a lei, e julgou “procedente o pedido para declarar a inconstitucionalidade do dispositivo”. Em sustentação oral, a advogada do Partido dos Trabalhadores, Fabiana Lazzarini Afonso, argumentou que a iniciativa de tornar o Banco Central independente deveria ter partido do presidente e não do Congresso.

“É muito claro, pela análise factual que ora apresento e cujos documentos foram anexados, que a aprovação do PLP 19/2019 que culminou na lei complementar número 179 não observou o devido processo legislativo na forma como previsto e desenhado na Constituição Federal. O advogado do Senado, Hugo Kalil, rebateu a tese e disse que o poder executivo chegou a enviar um projeto de autonomia do BC à Câmara, que acabou sendo anexado à proposta em tramitação na Casa. “A matéria foi apensada para tramitação conjunta, na forma regimental. A aprovação do projeto oriundo do Senado Federal tornou prejudicada, mais do que rejeitada, a proposta do Executivo”, afirmou. Para a Secretária-Geral de Contencioso da Advocacia Geral da União, Izabel Nogueira de Andrade, é função do legislativo garantir a proteção do sistema financeiro nacional, papel exercido pelo Banco Central. “Os temas da autonomia do Banco Central, a definição dos seus objetivos e a fixação de mandatos para os seus dirigentes não foram disciplinados à Constituição. Todavia, representam matérias sujeitas à atuação do legislador complementar”, pontuou. Com a lei sancionada em 24 de fevereiro pelo presidente Jair Bolsonaro, o BC passou a ter status de “autarquia de natureza especial”, sem subordinação a qualquer ministério.

*Com informações da repórter Caterina Achutti

Fonte: JP

Comunicar erro
Capa 2 Couminca Am horizontal FULL
Banner 02 Pet DB

Comentários

Capa 3 Couminca Am horizontal FULL
Banner 02 Good PAX